Capítulo 18

…eram os meus pés culpados pelos caminhos tortos que eu havia seguido. E minha alma pouco evoluída não me deixava ver a luz em um local tão sagrado como esse.

Durmo e acordo no dia seguinte com a mesma sensação de vingança. Ela vai pagar muito caro por ter entrado na minha vida desse jeito, roubando-me uma parte de mim. Odeio-a tanto, tanto! Nunca mais vou conseguir tirar o nome dessa mulher da minha mente: o diabo Kauffmann.

Para continuar a leitura acesse:

Próxima leitura -> Capítulo 19

***

Trilha Sonora: Alive – Pearl Jam

Deixe uma resposta