Capítulo 23

Foi ele, meu filho deformado que voltou para me pedir que eu abrace o seu irmão, o Davi. Senti a presença do Miguel ao meu lado, como se ele soprasse lentamente em meus ouvidos… escutei sua voz ao mesmo tempo em que acariciei a testa aveludada do enorme bebê de sete meses. 

O tempo que seguiu após a nossa volta de Amsterdã foi bem tumultuado. Como toda mulher louca e obsessiva, Mariana não iria deixar o Jota livre para fazer o que quisesse, não sem sofrimento… ela começou impedindo que Jota visse o “filhote de demônio” aquele ruivinho circuncidado que me irritava só de ouvir a pronúncia de seu nome bíblico. Mas, ao saber que ele era usado como uma arma de disputa e extorsão em um conturbado divórcio, logo afeiçoei-me à ideia de usar essa mesma arma contra ela. 

Para continuar a leitura acesse:

Próxima leitura -> Capítulo 24

***

Trilha Sonora: Ode To My Family – The Cranberries

Deixe uma resposta