Capítulo 34

Estava tomado pela fome da luxúria, assim como seu pai. Em nada se parecia com o irmão assassinado, cuja morte cruel lhe serviu de prazer mórbido e vil. Eram as partes íntimas da sobrinha encantada que lhe interessavam. Era por sua beleza e pureza que vivia todos os dias até aquela noite fatídica. Era por ela, por Maria Eugênia, que ele esperava por toda uma vida e era atrás dela que ele iria até o dia da sua morte.

24 de junho de 2011 – Festa do Agnaldo

A festa do Agnaldo já vai terminar e não consigo falar com o Jota. Fico apreensiva sem saber o que se passou com ele! Ligo para o Rogério, um dos seguranças particulares do Jota e ele me diz que o Jota o dispensou à tarde. Minha tensão aumenta e resolvo ir até o jardim de inverno fumar um cigarro. Tia Amélia não gosta que fumem na sua casa e, por esta razão, tento esconder meu cigarro entre as folhas das plantas licuala e jibóia, as preferidas da Vó Lia…

Para continuar a leitura acesse:

Próxima leitura -> Capítulo 35

***

Trilha Sonora: I Still Haven’t Found What I’m Looking For – U2

Deixe uma resposta