Uma Puta…

No olhar que me fixou, me tirou do rumo por um instante… veio em silêncio e tirou a roupa… sem pedir permissão começou a beijar minha nuca e a deslizar sua língua pela borda da minha orelha. Senti meus pelos levantarem, o bico do meu peito endurecer e minha calcinha ficar molhada. Senti meu sangue quente baixar até meus pés. A única coisa que eu pensava: quero ele inteiro dentro de mim. Quero que me machuque, que me devore, que me liberte de mim mesma. Quero ouvir que sou puta no momento em que entra. Sentir-me cachorra e devassa…. quero ser dona do tesão dele. E quero a resposta do gozo mais intenso como prova do seu desejo. Quero mais. Quero inteiro. Quero tudo… até o momento em que não quero mais nada… viro pro lado e relaxo. Quero dormir. Sozinha. Sem toques ou carinhos. Não quero mais. Agora, quero somente o meu corpo. Refazê-lo como santuário, depois da orgia que vivenciei em meu pensamento. Quero paz no meu espírito em contraponto a dormência sinalizadora dos meus pés. Quero ele, aqui, me vendo dormir e desejando que nas próximas noites também seja eu a estar do seu lado. Foi quando ouvi o barulho da porta. Saiu sem nem dizer adeus. Agora sim, me senti puta de verdade…